terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

O embarque


Hoje é quarta de cinzas. As cinzas da nossa paixão, que sobraram depois de três dias de folia em nossos lençois. Nossa escola foi campeã. Você sabe disso. Desde o primeiro olhar. O primeiro beijo. O primeiro abraço. O primeiro toque. O primeiro encontro dos corpos. Nosso ensaio valeu a pena. Nossa fala e nossa escrita foram perfeitas. Assim como perfeito transformou-se nosso contato. Conheço você há anos. Séculos. Coisa de outras vidas. Só eu e você entendemos. Só eu e você compreendemos nos conhecer tantos anos, que foram compactados em um mês.

As cinzas desse dia estão abafadas com o até logo dado hoje. Sim. Porque adeus entre a gente não existe. Nem na morte. Vamos nos permitir partir no mesmo dia. De mãos dadas. Como combinamos que será nesse período que nos resta aqui. Embaixo das cinzas a brasa do nosso amor permanece. Aquece o coração e espanta o frio da solidão temporária dos corpos, mas não dos espíritos. Esses permanecem unidos.

Feche os olhos. Sinta minha presença ao teu lado em tua cama. Meu espírito serelepe e irrequieto foge do casulo e te visita. Todas as noites em que estivermos distante. Quando sentir um calafrio percorrer teu corpo na madrugada saiba que sou eu a te abraçar para dormirmos de conchinha.

Nossa despedida da avenida é o desfile de nossa escola campeã. As alas que chegaram do céu trazendo-te a mim são as mesmas que agora te levam no desfile da quarta de cinzas. Eu sabia que duraria pouco. Mas que se tornaria eterno. Teu até logo não dói. Nosso amor é leve como as plumas das fantasias carnavalescas. Sem neuroses. Por anos aprendemos a amadurecer. Hoje, na hora exata, entendemos o porquê do sofrimento passado. Era necessário. Hoje nosso amor é liberto. É pacífico. É tranquilo. A dor vivida ontem, hoje, explica a relação. Nosso amor não se permite outra nota dos jurados que não seja o ‘dez’, anunciado efusivamente em todas os quesitos avaliados no desfile. Sim, nosso amor desfilou por três dias. Mesmo já se sabendo campeão, cumpriu o papel de exibir-se na avenida para a plateia interessada em vê-lo.

Quando, finalmente hoje, na quarta de cinzas, você desfila em nossa escola, me dando o beijo e o até logo, rumo ao embarque, sinto, com a certeza do meu amor por ti, que desfilaremos eternamente, sempre sendo campeões, sempre surpreendendo os foliões, sempre apresentando novidades no sambódromo. O desfile final é teu embarque nas asas do abre alas, com a certeza que desembarcará em breve, novamente. Aí, não haverá novos embarques, a não ser que nossas mãos estejam unidas no saguão do aeroporto.

Um comentário:

Juliana disse...

Acordei com vc na madrugada amore...sei que estará sempre aqui comigo e eu com vc enquanto estivermos longe...Embarquei com vc dentro de mim,essa foi minha melhor conquista...
Te adoro!