domingo, 15 de fevereiro de 2009

Lingerie



Mulher que se preza tem a obrigação de usar lingerie. Daquelas sexy. Sempre. A lingerie é a segunda pele da mulher. É ela quem determina como vai ser o sexo. Lingerie recatada, sexo papai e mamãe. Sem loucuras. Uma transa light. Suave. Lingerie provocante, cinta liga, meias sete oitavos, sexo selvagem, animal, vale tudo.

Imagino que as mulheres gostam de provocar na cama. Gostam de se liberar. Deixam de ser inibidas, puritanas. Uma vez ouvi uma frase que não esqueço: trate uma puta como princesa e uma princesa como uma puta. Calma, mulheres. Deixem-me explicar. Vocês, na verdade, querem ser mais liberais na cama, nada de pudico. Nada de recatamento. Bom, aí é que entram as lingeries. Nós, pobres homens mortais, somos seres visuais. Precisamos ver o que é preciso ser feito. Precisamos de pistas. E a lingerie é uma delas. A mais importante talvez.

Então, se vocês esperam que tenhamos uma ‘pegada’ mais forte na cama, apresentem-se para tal. Vistam-se como profissionais do sexo. Aticem nossa imaginação visual. Não se arrependerão. Com certeza. Agora, no dia que quiserem uma relação mais tranqüila, fácil, coloquem uma lingerie recatada, quase juvenil. Saberemos que não devemos esperar uma leoa na cama naquele dia. O importante é usar. Para nós homens, vocês tornam-se muito mais sensuais quando estão seminuas, do que quando completamente peladas.

Lingerie é que nem acessório de carro. Nós brasileiros somos apaixonados por carro e mulher. Todo homem cuida do seu carro com um amor incondicional. Colocam acessórios, rádios, DVD players, insulfilm, adesivos, rodas. Então, com as mulheres é a mesma coisa. Uma lingerie certa faz com que fiquemos muito mais interessados em vocês. Ela valoriza a mulher. A torna mais atraente, mais bonita. A lingerie faz parte do corpo feminino. É exclusiva das mulheres. Lingerie é a preliminar da preliminar. Faz parte do ato em si. Escorrer a mão por trás das costas de uma mulher. Brigar com o fecho do sutiã para ter acesso aos seios femininos. Desnudar os peitos rijos pela excitação. Baixar a calcinha. Ou não. Descobrir um vale proibido escondido por trás de um pedaço de pano cheiroso. Brincar com a roupa íntima. A lingerie é a porta do play ground que se abre. É o ingresso da roda gigante do parque de diversões.

Quando era menor roubava as revistas femininas para apreciar as mulheres e suas vestes íntimas. Aquelas revistinhas da AVON. Adorava. Ficava a imaginar o corpo por debaixo da roupa. Sonhava o dia de me ver frente a frente com uma peça íntima recheada. Observar o andar de uma lingerie ao seu encontro é tão excitante quanto despir o recheio.

Lingerie faz bem a saúde. A dos homens, mas também a das mulheres. Usem mulheres. Repitam se necessário. Inovem sempre que possível. Cores, tamanhos, formas, cheiros, gostos. Lingerie cola. Pele com pele. Adesivo essencial da relação.

Um comentário:

vah disse...

que maravilhosa essa langerie!! sabe de que marca é???