quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Sobre frentes únicas, tênis e botinhas de duendes – Final

Capítulo final da minha saga noturna. Estava eu na mesma boate em que vi tênis em mulheres espetaculares e frentes únicas (portais do paraíso) sendo pedagiadas por sutiãs intrometidos. Após comentar com meus amigos notívagos sobre minhas incursões no mundo crítico da moda acabei por observar que mais uma coisinha me incomodava no vestuário feminino moderno. Apelidei de botinhas de duendes. Sabe essas botas iguais as aí de cima na foto? Cara que coisa mais brega, desculpe, mas a única coisa que isso me lembra é da Branca de Neve e os sete anões. Ainda mais se a guria for baixinha.

Não sei se você concorda comigo leitor. Mas essa botinha rasteira (acho que é isso?), é tudo de feio. Tira a feminilidade da mulher. Transforma-a quase numa criança querendo imitar a Xuxa. Lembra daquelas botas plásticas da Xuxa, que a turminha de meninas adoraaaaavaaa? Pois é, acho que é isso. Elas lembram menininhas fãs da Xuxa. Talvez isso me desgoste no figurino. Afinal não sou pedófilo. Kakakaka.

Acabei comentando com duas ex-colegas de facul que não me agradava esse particular no vestuário usual da mulherada. Elas, prontamente, me execraram. Disseram que não entendia nada de moda. Que a bota, além de bonita, era muito confortável, agradabilíssima de se usar no dia-a-dia. Pode até ser. Mas se fosse por conforto, as mulheres deveriam sair de pantufas. Muito mais confortáveis. Não acham? Desculpa mulherada, mas eu acredito que mulher tem que ser mulher 24 horas por dia. Como assim? Tem que estar bem produzida, maquiada, cabelo impecável e etc. Senão o que sobra pra nós pobres homens? Mulheres, não nos tirem o direito de apreciá-las da melhor forma possível. Porque, não adianta, homem é visual. Homem adora ver mulher bonita. Pelo menos homem no conceito antigo. Hoje, já não sei mais. Porém, eu ainda prefiro ver mulher bonita. Amigo leitor, você não concorda? Sete anões não dá. Por favor mulherada. Sem botinhas de duende.

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Sobre frentes únicas, tênis e botinhas de duendes – Parte II


Continuando. Dizia que mulher de tênis em boate não dá. Certo? Pois bem, na mesma noite, na mesma boate, reparei em outro detalhe feminino. Meninas de frentes únicas.Hummmm....aquelas costas esguias, desnudas, claras, morenas, douradas do sol, deixando entrever desejos e pensamentos libidinosos. Os homens tentando observar detalhes mal cobertos, tatuagens semi-escondidas. Ou seja, frentes únicas são as portas para o pecado. Erguer aquela blusinha encostado num corpo quente e ofegante em um quarto de motel a meia luz. Bom, voltandooooo....hehehehe.

Dizia eu que frentes únicas são tudo de bom em uma mulher, mas, e sempre há um mas, o que não dá é frente única com....sutiã. Não interessa a cor, o formato. Descer seu olhar da nuca e chegar ao meio das costas e de repente dar de cara com aquele obstáculo, quase uma praça de pedágio na estrada vertebral que leva ao paraíso é, novamente, broxante. Frentes únicas devem ser usadas por mulheres tatuadas, tatuagens na nuca, nas costas, no cóccix, hummmm, simplesmente delicioso. Devem ser usadas também por mulheres de costas lisinhas, bronzeadas, branquinhas, negras. Além disso, para se usar frente única é primordial, fundamental, relevante, que a mulher possua seios rijos, durinhos, eretos, não importa o tamanho, nem o volume. Por isso as frentes únicas foram criadas, para realçar os seios femininos. Provocar olhares e pensamentos maliciosos nos homens que têm a oportunidade de cruzar com uma frente única.

Pois estava eu na mesma boate do texto anterior, apreciando o universo feminino que me rodeava e analisando as mais variadas espécimes femininas, quando me deparei com frentes únicas maravilhosas, mas também com, sutiãs! Aí não dá leitor. Você há de convir comigo que mulher em boate, de frente única, seios rijos, costas tatuadas, é muito bom. Mas sutiã. Não dá. Por isso, além da placa de proibido mulher de tênis em boate, acrescente-se: proibido mulher de frente única, seios rijos, com SUTIÃ.Você há de me dar razão, nós homens merecemos mais e mais mulheres de frente única. A porta aberta para o éden.

Obs: em seguida o capítulo final de minha saída noturna.


segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Sobre frentes únicas, tênis e botinhas de duendes – Parte I



Acho que estou ficando velho. Definitivamente estou ficando velho. Por quê?Porque ontem fui a uma festa em uma boate da região. Começa que eu era o tio do lugar. Até aí nada demais, apesar de que acredito que a gurizada está indo muito cedo para boate. A primeira vez que fui a uma boate tinha 16 anos. Ontem, com certeza vi uns meninos e meninas que deviam ter no máximo 13. Bom, mas a discussão não é sobre isso, mesmo porque não quero me intrometer na educação de nossa juventude contemporânea. O que me deixou profundamente intrigado, chateado diria, é que as poucas, digamos, mulheres que freqüentavam o local, estavam praticamente perfeitas.Quase. Do fio de cabelo ao tornozelo, lindas, exuberantes, seja em vestidos esvoaçantes que deixam qualquer homem com torcicolo, torcendo por um vento soprar de baixo para cima, seja em jeans das mais variadas cores e estilos. Bem maquiadas, cabelos e unhas impecáveis, blusinhas de todos os formatos e cores, além de acessórios, de brincos e colares, passando pelos piercings de umbigo. Ah, que coisa deliciosa, você passear com sua boca por aquelas barriguinhas chapadas e encontrar um piercing no umbigo dela. Sua língua começa a brincar com aquele brinco fora de lugar, propositadamente colocado para provocar e excitar os homens.

Bom, voltando. Dizia eu, que até o tornozelo tudo perfeito. O que me broxou, literalmente, foi quando olhei para os pés de algumas fêmeas, digamos, atraentes.Lá estavam eles. Como uma aberração da natureza. Você olha a guria, vê aqueles lindos cabelos chacoalhando ao sabor da música, o rosto maquiado para a noite, as blusas, com seus decotes insinuantes, as calças, tão coladas que permitem fazermos uma leitura do recheio. E então, ao chegar aos pés, você dá de cara com um par de...sandálias? Botas de salto alto? Scarpins chiquérrimos? Nada disso, o que vi foram tênis. Isso mesmo leitor, tênis. Agora me explica. O que leva uma criatura, toda arrumada, colocar tênis de malhação para ir a uma festa? Será que depois da festa e das bebidinhas a mais, para manter a forma e seus corpos esculturais elas saem para um jogging noturno?Acredito que não.

Portanto meu primeiro protesto vai para os donos de boates. Afixem uma placa com o seguinte dizer: Proibido lindas mulheres, bem vestidas, calçando tênis. Tênis, leitor, decididamente, não dá. Tênis para mulher, só na academia ou na caminhada diária. Lanço aqui a campanha que proíbe a entrada de mulheres em boates, de tênis. Espero que vocês que me lêem, apóiem.

Obs: Em breve a parte II, onde continuarei a contar minha saída noturna e outras coisitas mais.

sábado, 18 de outubro de 2008

The Empire State Building

Foto: Wikipedia
O Empire State Building é um arranha-céu de 102 andares de estilo Art déco localizado na intersecção da 5ª Avenida com a West 34th Street na cidade Nova York. Seu nome deriva do apelido do estado de Nova York.

Foi considerada uma das estruturas mais altas do mundo por mais de quarenta anos, desde a sua conclusão em 1931 até que a construção da Torre Norte do World Trade Center foi concluída em 1972. Logo após a destruição do World Trade Center em 2001, o Empire State Building recebeu novamente o título de edifício mais alto de Nova York.

Foi declarada uma das Novas maravilhas do Mundo Moderno pela Sociedade Americana de Engenheiros Civís e também como uma das marcas registradas da cidade de Nova York.

Por que estou falando nisso? Porque vou contar a história do Lúcio e da Sissi. O Lúcio é um cara maduro. Foi casado por um tempão. Não deu certo. Separou. A Sissi, ah, a Sissi!! Esse nome tão diminuto não corresponde aos quase 1,80m daquela morena, cabelos negros como a noite, olhar matador, pernas tão compridas como os quase primeiros 70 andares do Empire State. A Sissi não tem como não ser notada. É uma daquelas mulheres que ao chegarem em um lugar provoca a atenção masculina e a inveja feminina. Os homens torcem seus pescoços ao vê-la passar, enquanto as mulheres beliscam as pernas de seus companheiros e lançam olhares fulminantes em direção à bela morena.

As loiras que me perdoem, sei da predileção masculina por loiras, mulheres belíssimas, chamam a atenção masculina com seus cabelos claros como os raios de sol. Mas quando uma morenaça entra em cena, é como se a noite chegasse mais cedo cobrindo o sol dos cabelos dourados das loiras.

Pois bem, o Lúcio certo dia desses foi a uma choperia com um amigo. Era uma sexta feira sertaneja universitária (tá na moda agora, sertanejo universitário, pagode universitário, samba universitário, e etc universitário, sei lá porque disso, vai ver que pra você ir na festa tem que ter curso superior. Já imaginou? Você tá chegando na festa e quando vai entrar um daqueles brutamontes segurança lhe diz: por gentileza, seu diploma universitário? Não. Então não entra.). Então, o Lúcio tava lá, bebericando uma cervejinha, batendo um papo com o amigo, na dele. Quando, de repente, ele olha pro lado e lá está ela, aqueles um metro e oitenta de mulher, sentada com uma amiga, ria e chacoalhava os cabelos como para que demarcar território e mostrar à concorrência que a noite era dela. Ela era o Empire State do lugar. O prédio mais alto, mais vistoso, mais lindo. As outras construções estavam ali só pra ocupar espaço. Meras coadjuvantes. Não ousavam tomar o lugar em altivez e beleza do Empire.

E aí começa o problema. O Lúcio se encantou pela Sissi. Até aí normal. O problema era a altura do prédio, ops, quer dizer da mulher. O Lúcio, bem, digamos que o Lúcio media por volta de 1,72m, e a Sissi, todos sabem, 1,80m, SEM SALTO ALTO.... Ora, o Lúcio não podia andar por aí com a bela Sissi, iriam rir da cara dele. Como um homem, mas um homem de verdade, poderia andar de mãos dadas com uma mulher mais alta? Lúcio já imaginava as piadinhas, os cochichos pelas costas. As pessoas comentando: olha que coisa!!! Kakakak...deve ser a guarda costas dele...E por aí vai.

Entretanto, quando os olhares se cruzaram, o da Sissi, um olhar tenro,calmo, confiante e o do Lúcio, um olhar desejoso, carente, mas ao mesmo tempo firme. Bom, aí foi tudo pro espaço. O amor é algo estranho, ele ultrapasssa todas as fronteiras físicas e emocionais, faz o que parecia improvável acontecer. Quebra preconceitos, paradigmas, dogmas e o que mais se entrepor entre os seres amados.

Como na foto, o amor faz o Empire State Building e seu companheiro igualarem-se em altura, em beleza, sem um ou sem outro a foto não fica completa. A Sissi sozinha brilha, mas a foto se completa com o Lúcio. O prédio mais alto de Nova York, sem amor, passa despercebido.

Cadê as Fotos ?????

Desculpem-me leitores. Minhas últimas postagens foram deficientes na questão visual. O que foge um pouco da proposta inicial do blog, isto é, associar texto e imagem. Meu HD, com milhares de fotos resolveu entrar em greve. Já o demiti e portanto falta pouco para recuperar milhares de fotos em seu poder. Kakakaka. Enquanto isso, tomo a liberdade de apropriar-me de imagens diversas capturadas pela rede mundial de computadores.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Sinto falta de você...

Sinto falta de vc, e a palavra que me cura...ninguém vai dizer...

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Nova Vida

A minha vida, hj, tem um novo significado...

domingo, 12 de outubro de 2008

Solidão

A solidão é a pior doença que pode existir. Ela mina o corpo e a alma lentamente. Faz com que você desanime, desista, retraia-se, até não suportar mais. É como se fosse um câncer voraz, que atua em silêncio e que ao ser descoberto já provocou a metástase na alma. Não gosto, não quero ser só. Não sei o que te fiz de errado. Acho que as pessoas se metem demais na minha vida. Acreditam assim estarem me ajudando, quando na realidade estão alimentando minha doença. Não sei o que te disseram, mas imagino. Pois faz tempo que teu silêncio me machuca.
Tua saída de cena não é explicável. Sei lá. Sei que posso ter tudo, fazer o que gosto e mesmo assim falta você. A felicidade não é você. Mas compartilhar minha vida me faz feliz. Em um tempo em que o individualismo reina não consigo viver só (apesar de minha crença saber que o espírito se desenvolve sozinho, progride sem companhia). Sinto falta da gente. Sair daqui não é solução, mas talvez aplaque, um pouco, a dor que estou sentindo. Sei que você não pode me curar, mas ter você novamente me faz renascer. Não posso determinar que seu coração se apaixone por mim. Gostaria que fosse fácil assim. Mas pelo menos tentei. E lhe pedi isso também. Sei que tentou, só não sei se por tempo suficiente. Nós dois sofremos pela solidão. Por isso imaginei que juntos pudéssemos ser felizes. Ledo engano.
Já rezei e pedi, trocaria tudo pelo meu maior sonho. Você sabe qual é. De que adianta ter ou ser algo, se não se está feliz? Alguém importante me disse que se fizer por mim despertarei interesse das pessoas. Pode ser verdade. Mas não quero reconhecimento nem admiração. Quero amor, simples, ignorante. Apesar de saber que ele não se bastará por si só. Mas talvez seja isso o início da cura.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

A Quem (me) Interessar Possa

Eu vou te Amar (Tchê Garotos)

De que vale o dia ter um lindo sol
De que vale a noite com o brilho sereno
Se longe de mim você está
Se longe de mim você está[2x]

Amor eu quero te encontrar
Ficar juntinho de vc
Vc é minha fantasia
E me faz viver
Se hoje o sol nao brilhar
Eu sei que estarei te perdendo
Pois sem o seu amor
Eu estou morrendo

[refrão]Eu vou te amar
Gritar até que um dia vc possa ouvir
Ouvir da minha boca, te dizer
Que o amor da minha vida é você[2x]
Eiê Eiê

De que vale o dia ter um lindo sol
De que vale a noite com o brilho sereno
Se longe de mim você está
Se longe de mim você está[2x]

[refrão]Eu vou te amar
Gritar até que um dia vc possa ouvir
Ouvir da minha boca, te dizer
Que o amor da minha vida é você[2x]
Eiê Eiê

video