sexta-feira, 6 de março de 2009

Chá das cinco (homenagem ao dia internacional dos homens)


Num futuro, não muito distante, essa cena e essa conversa, serão normais:


- E aí galera?

- Opa, chega aí Márcio!

- Tudo bem Rodrigo, como é que está Fábio? Tranquilo Roberto?

- Tudo bem, responde Roberto. Finalmente tua mulher liberou você pra vir tomar um chá conosco. Fazia tempo hein! Como vai a Aninha?

- Foi assistir ao jogo do Grêmio, com a Paula e a Carla, no estádio.

- Nossa! Nunca vi, tua mulher é fominha por bola mesmo, comenta Rodrigo. – A Cíntia até que curte um futebol, mas na TV. Eu aproveito para colocar a leitura em dia, enquanto ela ta grudada no futebol domingo de tarde. Estou lendo Mulheres são de Marte, Homens são de Vênus. Uma obra reeditada de uns anos atrás. Atualizada. Fala muito sobre o relacionamento do casal. A insensibilidade feminina, o porquê delas não quererem discutir o relacionamento, essas coisas.

- Bah! Que legal cara. Quando terminar, me empresta, quero ver se a Sílvia se toca e lê esse livro. Ela está precisando, diz Fábio.

Márcio, um rapaz bonitão, 1,80m, moreno, pede um chá de camomila. Precisa desestressar. A vida de dono de casa está deixando ele louco. Cuidar dos gêmeos que teve com Renata não é tarefa fácil. A mulher trabalha de 12 a 15 horas por dia. Ele resolveu pedir licença do trabalho na repartição pública, por seis meses, até que as crianças já possam ir para a creche. Sem o salário de Márcio, a coisa está apertada em casa.

- A Renata está pegando pesado, diz ele. Controla todos os meus gastos. Não posso nem mais dar uma volta no shopping. Imagina se voltar com uma sacolinha de compras? Esses dias comprei um vestido de presente para ela, mandou que devolvesse. Lógico, eu não obedeci. Estendi no guardaroupa e ela, de vez em quando, usa. Mas todas as vezes reclama. Que poderíamos ter trocado de carro se eu não gastasse com tanta futilidade. Vai entender as mulheres de hoje. Nunca estão satisfeitas.

Nisso quatro beldades, duas loiras e duas morenas, se aproximam do quarteto. Perguntam se podem sentar junto a eles, para conversarem. Mais que depressa, Fábio e Roberto inventam uma desculpa e saem para ir ao banheiro. Márcio e Rodrigo, já sabendo das reais intenções das gatas, apressam-se em dizer que são comprometidos e que as mulheres só foram olhar uma loja de eletrônicos e já devem estar voltando.
As gurias, descartadas e sem jeito, falam qualquer coisa e se despedem.

- Incrível né Márcio. Essa mulherada de hoje não respeita mais homem casado. Dão em cima de todos. É só ter uma aparência legal, estão matando em cima. Não dá nem mais para quatro amigos se reunirem, conversarem e darem umas boas risadas em paz, diz Rodrigo.

Fábio e Roberto, nesse instante, voltam à mesa. Reclamam do assanhamento das meninas e voltam ao assunto de antes. Márcio sorve seu chá de camomila acompanhado de um delicioso pão de queijo e uma fatia de torta de limão. Fábio, Roberto e Rodrigo preferem pedir uma jarra de chá de frutas silvestres, acompanhado de croissants de goiabada. Enquanto se deliciam com os quitutes a tarde vai passando. Assuntos. Os mais variados. Cinema. BBB. A última moda masculina para o verão. Reclamações que as meninas só querem sexo. Não são mais românticas, como no começo do namoro.
Já é perto das 18h, quando o celular de Fábio toca. É Sílvia. Querendo saber se ele vai demorar. Tiago e Bruna, as crianças, estão com fome e eles haviam combinado de irem ao McDonalds e depois levar os pimpolhos para assistirem a última animação da Disney, no cinema.

- É galera. A conversa está boa, mas a Sílvia já está me pentelhando para ir para casa. Tenho que dar banho nas crianças para a gente pegar um cineminha. Às vezes me pergunto. Por que foi que casei? Mulher só serve para aquilo mesmo. Kakakaka. Se é que vocês me entendem.

Risadas generalizadas.

Márcio também comenta que Renata, logo, logo, volta do posto onde eles levam o carro para lavar todo o sábado. Passará no shopping e o pegará. Sempre reclama que ele nunca está na porta esperando. Perde tempo estacionando o veículo e procurando Márcio no interior do centro de compras. Dessa vez ele resolve não criar confusão e esperar a mulher na porta de entrada.

Os rapazes se despedem. Alegres pela reunião. Combinam o próximo sábado. Novo chá das cinco. No shopping. Afinal, sempre é bom um tempinho com os amigos. Sair da rotina do casamento. Elas não vão assistir ao futebol? Deixem os rapazes se reunirem e conversarem. Os homens antigos é que gostavam desse esporte violento e sem graça. Eles são homens modernos. Discutem relacionamento, moda, diversão.

Viva a modernidade. Viva o chá das cinco. Algumas coisas não mudam. As personagens talvez. O chá, nunca.

Parabéns Homens da Terra. 08 de março. Dia Internacional dos Homens.

Um comentário:

Bruna disse...

pelo amor d Deus, onde estão estes homens? Eu keeeeeeeero!!!! td bem , trabalho fora e sustento a casa por um maridinho fiel q me papariq e não assista futebol!!!

Boa, Luciano, sempre espirituoso!
ass: Bruna